Translate

30 de dezembro de 2012

Férias - Passeio no Shopping

Fizemos um passeio muito agradável no Shopping Rio Sul esta semana. Há um ano atrás nós não conseguíamos passear no Shopping com o Lucas, pois ele ficava muito vidrado com as imagens digitais das lojas ou das decorações do Shopping, com as escadas rolantes... Era uma batalha quando tentávamos, pois ele se irritava com tudo, chorava e esperneava até saírmos do Shopping. Agora ele simplesmente está amando bater perna, olhar o movimento e as decorações... Ainda se fixa em algumas coisas, mas não se irrita quando eu digo que temos que continuar o passeio... Ele só não quer entrar nas lojas, é muito engraçado, pois tive que entrar em uma para trocar um presente e ele me olhava e falava (na lingua dele) choramingando, como se quisesse me dizer que queria continuar andando... Mas até que ficou bem, pois toda hora eu explicava que ia ser muito rápido e que continuaríamos o passeio. E é claro que ele também fica esperando uma passadinha no MC Donald para finalizar o passeio. Tirei algumas fotos da decoração de Natal que estava linda. A decoração tinha vários animais como urso, girafa, leão e etc. Ele amou o leão, acariciou e deu até beijo. Muito lindooo!!! Por isso insisto em dizer, nunca desistam deles, pois a cada momento eles nos surpreendem. Acreditem sempre!!!

28 de dezembro de 2012

PLS 168/11 - AGORA É LEI!

OS AUTISTAS TEM UMA LEI FEDERAL DE PROTEÇÃO AOS SEUS DIREITOS A CIDADANIA, RESGATANDO-LHES O DIREITO A TRATAMENTO DIGNO E O CONVÍVIO FAMILIAR!!! MUDAMOS A HISTÓRIA DE DOR E SOFRIMENTO DE PESSOAS COM AUTISMO NO BRASIL. BRASÍLIA - DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO 28dez2012 LEI 12.764, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012 Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3o do art. 98 da Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990. A P R E S I D E N T A D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1o Esta Lei institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista e estabelece diretrizes para sua consecução. § 1o Para os efeitos desta Lei, é considerada pessoa com transtorno do espectro autista aquela portadora de síndrome clínica caracterizada na forma dos seguintes incisos I ou II: I - deficiência persistente e clinicamente significativa da comunicação e da interação sociais, manifestada por deficiência marcada de comunicação verbal e não verbal usada para interação social; ausência de reciprocidade social; falência em desenvolver e manter relações apropriadas ao seu nível de desenvolvimento; II - padrões restritivos e repetitivos de comportamentos, interesses e atividades, manifestados por comportamentos motores ou verbais estereotipados ou por comportamentos sensoriais incomuns; excessiva aderência a rotinas e padrões de comportamento ritualizados; interesses restritos e fixos. § 2o A pessoa com transtorno do espectro autista é considerada pessoa com deficiência, para todos os efeitos legais. Art. 2o São diretrizes da Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista: I - a intersetorialidade no desenvolvimento das ações e das políticas e no atendimento à pessoa com transtorno do espectro autista; II - a participação da comunidade na formulação de políticas públicas voltadas para as pessoas com transtorno do espectro autista e o controle social da sua implantação, acompanhamento e avaliação; III - a atenção integral às necessidades de saúde da pessoa com transtorno do espectro autista, objetivando o diagnóstico precoce, o atendimento multiprofissional e o acesso a medicamentos e nutrientes; IV - (VETADO); V - o estímulo à inserção da pessoa com transtorno do espectro autista no mercado de trabalho, observadas as peculiaridades da deficiência e as disposições da Lei no 8.069, de 13 de julho de1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente); VI - a responsabilidade do poder público quanto à informação pública relativa ao transtorno e suas implicações; VII - o incentivo à formação e à capacitação de profissionais especializados no atendimento à pessoa com transtorno do espectro autista, bem como a pais e responsáveis; VIII - o estímulo à pesquisa científica, com prioridade para estudos epidemiológicos tendentes a dimensionar a magnitude e as características do problema relativo ao transtorno do espectro autista no País. Parágrafo único. Para cumprimento das diretrizes de que trata este artigo, o poder público poderá firmar contrato de direito público ou convênio com pessoas jurídicas de direito privado. Art. 3o São direitos da pessoa com transtorno do espectro autista: I - a vida digna, a integridade física e moral, o livre desenvolvimento da personalidade, a segurança e o lazer; II - a proteção contra qualquer forma de abuso e exploração; III - o acesso a ações e serviços de saúde, com vistas à atenção integral às suas necessidades de saúde, incluindo: a) o diagnóstico precoce, ainda que não definitivo; b) o atendimento multiprofissional; c) a nutrição adequada e a terapia nutricional; d) os medicamentos; e) informações que auxiliem no diagnóstico e no tratamento; IV - o acesso: a) à educação e ao ensino profissionalizante; b) à moradia, inclusive à residência protegida; c) ao mercado de trabalho; d) à previdência social e à assistência social. Parágrafo único. Em casos de comprovada necessidade, a pessoa com transtorno do espectro autista incluída nas classes comuns de ensino regular, nos termos do inciso IV do art. 2o, terá direito a acompanhante especializado. Art. 4o A pessoa com transtorno do espectro autista não será submetida a tratamento desumano ou degradante, não será privada de sua liberdade ou do convívio familiar nem sofrerá discriminação por motivo da deficiência. Parágrafo único. Nos casos de necessidade de internação médica em unidades especializadas, observar-se-á o que dispõe o art. 4o da Lei no 10.216, de 6 de abril de 2001. Art. 5o A pessoa com transtorno do espectro autista não será impedida de participar de planos privados de assistência à saúde em razão de sua condição de pessoa com deficiência, conforme dispõe o art. 14 da Lei no 9.656, de 3 de junho de 1998. Art. 6o ( V E TA D O ) . Art. 7o O gestor escolar, ou autoridade competente, que recusar a matrícula de aluno com transtorno do espectro autista, ou qualquer outro tipo de deficiência, será punido com multa de 3 (três) a 20 (vinte) salários-mínimos. § 1o Em caso de reincidência, apurada por processo administrativo, assegurado o contraditório e a ampla defesa, haverá a perda do cargo. § 2o( V E TA D O ). Art. 8o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Brasília, 27 de dezembro de 2012; 191o da Independência e 124o da República. DILMA ROUSSEFF José Henrique Paim Fernandes Miriam Belchior BRASÍLIA - DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO 28dez2012 LEI 12.764, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012 Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3o do art. 98 da Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990. A P R E S I D E N T A D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1o Esta Lei institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista e estabelece diretrizes para sua consecução. § 1o Para os efeitos desta Lei, é considerada pessoa com transtorno do espectro autista aquela portadora de síndrome clínica caracterizada na forma dos seguintes incisos I ou II: I - deficiência persistente e clinicamente significativa da comunicação e da interação sociais, manifestada por deficiência marcada de comunicação verbal e não verbal usada para interação social; ausência de reciprocidade social; falência em desenvolver e manter relações apropriadas ao seu nível de desenvolvimento; II - padrões restritivos e repetitivos de comportamentos, interesses e atividades, manifestados por comportamentos motores ou verbais estereotipados ou por comportamentos sensoriais incomuns; excessiva aderência a rotinas e padrões de comportamento ritualizados; interesses restritos e fixos. § 2o A pessoa com transtorno do espectro autista é considerada pessoa com deficiência, para todos os efeitos legais. Art. 2o São diretrizes da Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista: I - a intersetorialidade no desenvolvimento das ações e das políticas e no atendimento à pessoa com transtorno do espectro autista; II - a participação da comunidade na formulação de políticas públicas voltadas para as pessoas com transtorno do espectro autista e o controle social da sua implantação, acompanhamento e avaliação; III - a atenção integral às necessidades de saúde da pessoa com transtorno do espectro autista, objetivando o diagnóstico precoce, o atendimento multiprofissional e o acesso a medicamentos e nutrientes; IV - (VETADO); V - o estímulo à inserção da pessoa com transtorno do espectro autista no mercado de trabalho, observadas as peculiaridades da deficiência e as disposições da Lei no 8.069, de 13 de julho de1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente); VI - a responsabilidade do poder público quanto à informação pública relativa ao transtorno e suas implicações; VII - o incentivo à formação e à capacitação de profissionais especializados no atendimento à pessoa com transtorno do espectro autista, bem como a pais e responsáveis; VIII - o estímulo à pesquisa científica, com prioridade para estudos epidemiológicos tendentes a dimensionar a magnitude e as características do problema relativo ao transtorno do espectro autista no País. Parágrafo único. Para cumprimento das diretrizes de que trata este artigo, o poder público poderá firmar contrato de direito público ou convênio com pessoas jurídicas de direito privado. Art. 3o São direitos da pessoa com transtorno do espectro autista: I - a vida digna, a integridade física e moral, o livre desenvolvimento da personalidade, a segurança e o lazer; II - a proteção contra qualquer forma de abuso e exploração; III - o acesso a ações e serviços de saúde, com vistas à atenção integral às suas necessidades de saúde, incluindo: a) o diagnóstico precoce, ainda que não definitivo; b) o atendimento multiprofissional; c) a nutrição adequada e a terapia nutricional; d) os medicamentos; e) informações que auxiliem no diagnóstico e no tratamento; IV - o acesso: a) à educação e ao ensino profissionalizante; b) à moradia, inclusive à residência protegida; c) ao mercado de trabalho; d) à previdência social e à assistência social. Parágrafo único. Em casos de comprovada necessidade, a pessoa com transtorno do espectro autista incluída nas classes comuns de ensino regular, nos termos do inciso IV do art. 2o, terá direito a acompanhante especializado. Art. 4o A pessoa com transtorno do espectro autista não será submetida a tratamento desumano ou degradante, não será privada de sua liberdade ou do convívio familiar nem sofrerá discriminação por motivo da deficiência. Parágrafo único. Nos casos de necessidade de internação médica em unidades especializadas, observar-se-á o que dispõe o art. 4o da Lei no 10.216, de 6 de abril de 2001. Art. 5o A pessoa com transtorno do espectro autista não será impedida de participar de planos privados de assistência à saúde em razão de sua condição de pessoa com deficiência, conforme dispõe o art. 14 da Lei no 9.656, de 3 de junho de 1998. Art. 6o ( V E TA D O ) . Art. 7o O gestor escolar, ou autoridade competente, que recusar a matrícula de aluno com transtorno do espectro autista, ou qualquer outro tipo de deficiência, será punido com multa de 3 (três) a 20 (vinte) salários-mínimos. § 1o Em caso de reincidência, apurada por processo administrativo, assegurado o contraditório e a ampla defesa, haverá a perda do cargo. § 2o( V E TA D O ). Art. 8o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Brasília, 27 de dezembro de 2012; 191o da Independência e 124o da República. DILMA ROUSSEFF José Henrique Paim Fernandes Miriam Belchior http://sphotos-f.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash4/c0.0.403.403/p403x403/749_4779246210718_1266683908_n.jpg

26 de dezembro de 2012

Que calor!!! Praia, praia...

Mais um dia de praia... Foi muito legal! Hoje fomos para Ipanema... O único problema é que o Lucas só quer fica dentro da água e como o sol está muito forte, não podemos abusar... Mas tava muuuuuito bom !!!

Dia de Natal com os que amamos...

O Natal é uma data maravilhosa! É a data que eu mais gosto do ano. E estar com a minha família, com saúde e com muito amor é a coisa mais importante do mundo. Fizemos um passeio em um parque. Pode ser um passeio simples para alguns, mas para nós estes momentos são valiosos. Clics não faltam...rs

20 de dezembro de 2012

Despedida da Escola Palmo e Meio

Só de pensar que vamos mudar tudo no ano que vem, me dá um friozinho na barriga, mas não tem jeito. A vida é cheia de mudanças o tempo todo e temos que nos adaptar. Sei que para o Lucas não será nada fácil... Até criar vínculos, criar uma nova rotina, enfim... Será uma fase de novas adaptações e temos que nos preparar. Fiquei muito feliz com o que o Lucas conquistou este ano. Na escola atingiu vários objetivos, principalmente na socialização onde brincou, dançou e se divertiu com os amigos. Ontem mostrei alguns videos para o Lucas da escola e foi incrível, pois ele escolheu os videos em que ele estava na sala de música, dançando e brincando com os amigos e ria muito... Ficou nítido o sentimento que ele tem por todos e isso me comoveu. Gostaria de agradecer mais uma vez a todos da escola que nos acolheram tão bem. Sentiremos muita saudades da Dona Sônia no portão sempre sorrindo para nos receber. A Fefê com seu jeitinho meigo, sempre preocupada e cuidadosa. A Bete como uma mamãezona acolhendo a criançada e a Karol sempre alegre e entusiamada com as boas novas que o Lucas conquistava. Foi uma grande equipe!!!! E continuará sendo para continuar este trabalho abençoado que é ensinar. Obrigada a todos e que Deus os ilumine neste jornada maravilhosa! Mais fotos para termos mais saudades... snif

19 de dezembro de 2012

Senado aprova política de proteção dos direitos dos autistas - PLS. 168/2011

"OS AUTISTAS PODERÃO TER SEUS DIREITOS RESPEITADOS EM LEI. O SENADO APROVOU NESTA QUARTA-FEIRA A “POLÍTICA NACIONAL DE PROTEÇÃO DOS DIREITOS DA PESSOA COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA”. A proposta aprovada pelos senadores equipara os direitos dos autistas aos das demais pessoas com deficiência. Ficam assegurados aos que sofrem do transtorno do autismo a garantia de inserção social, o estímulo à entrada no mercado de trabalho, o direito a acompanhante nas escolas e à previdência social. O projeto estabelece ainda que os autistas devem estudar em classes comuns de ensino regular e as escolas que negarem as matrículas poderão pagar multa de até vinte salários mínimos. Há ainda punição de até dois anos de prisão para quem maltratar, castigar ou ofender as pessoas com este tipo de distúrbio. A pena pode aumentar em até doze anos de cadeia se a agressão resultar em morte. O senador Wellington Dias, do PT do Piauí, é pai de uma menina autista. Ele lembrou que o projeto que cria a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista foi apresentado pela Comissão de Direitos Humanos do Senado, a partir de uma sugestão da Associação em Defesa do Autista. Eu tenho o privilégio de Deus de ter uma filha que é autista, a Daniele. A gente aprende muito com as pessoas que têm deficiências. São pessoas que nos ensinam muito. Eu tenho sempre reafirmado o quanto mudou a minha vida e a vida da minha esposa a partir desta experiência. Acho inclusive que estas coisas têm seus propósitos, e eu creio que esta regulamentação vai nos ajudar muito. O médico Drauzio Varela explica que o autismo é um transtorno de desenvolvimento marcado por três características mais importantes: a falta de habilidade para interagir socialmente, a dificuldade no domínio da linguagem para comunicar-se ou lidar com jogos simbólicos e um padrão de comportamento restritivo e repetitivo. Reportagem: Larissa Bortoni.

Mais despedidas...

Como estamos na última semana de atividades, nos despedimos com muita saudades dos terapeutas que fizeram este trabalho tão maravilhoso com o Luquinha durante o ano todo... Obrigada Vanessa, Davidson, Aderson, Simone e Roberta pelo carinho e dedicação. Olhem as fotos... Saudadessssss...

Ideias de atividades natalinas para as crianças

O Natal está chegando e algumas crianças especiais não conseguem entender o significado Natalino. Aproveite esta fase do ano para desenvolver atividades em família.Envolva as crianças na montagem da árvore e do presépio, colocação das luzinhas e guirlandas, no embrulho dos presentes deixar seu filho explorar e manipular os enfeites natalinos preparar biscoitinhos natalinos pedir a criança para confeccionar os cartões natalinos utilizando desenhos, pinturas, dobraduras ou pequenos textos escritos com suas próprias letrinhas contar histórias infantis para as crianças sobre Natal

16 de dezembro de 2012

Texto de um pai de autista sobre inclusão escolar

Em favor da Sanção do PLS 168/11, vejam o texto do advogado e pai de autista Renato Franca: Tema controverso e que gerou muitas duvidas nos pais e o que se refere ao art. 7 da PL 1631/11, o que o nobre legislador quis dizer nesse parágrafo único e que infelizmente existe crianças que não podem frequentar a rede regular de ensino, em nenhum momento o nobre legislador disse que cabe ao gestor escolar ou autoridade competente a exclusão do aluno no regime regular. Somente cabe isso ao médico, sob pena de infringir o Código Penal, então segundo o ponto de vista desse jurista que vós escreve não há inconstitucionalidade nesse artigo, porém alguns advogados usando de artimanhas jurídicas usam o caput (art. 7) como se ele estivesse interligado intrinsecamente ao parágrafo único, coisa que não é verdade. Para esses advogados aviso que se interpretarem dessa forma farão com que o gestor seja culpado do Crime de exercício ilegal da profissão. Se mesmo assim quiserem interpretar dessa forma qualquer jurista dará parecer favorável a criança autista, sob pena de infringir o art. 6 que diz claramente que a educação e um direto social e ao art. 5, parágrafo XLI que diz que a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais, portanto nenhuma criança pode deixar de frequentar a escola regular. Alguns vão dizer, mas se a lei e dúbia, porque não suprimi-la, primeiro novamente a lei não é dúbia, a interpretação errônea de advogados espertos e que fazem algo claro se tornar dúbio. Segundo suprimir esse parágrafo único, faz com que a lei toda não seja implementada por mais dois anos, e com isso os outros direitos defendidos nessa lei ficarão no limbo prejudicando milhares de autistas. Terceiro se a lei for aprovada como esta, e algum desses advogados quiserem entrar na justiça tentando tirar uma criança autista do colégio, cabe os pais procurarem seu direito diante da Carta máxima desse país, ou seja, a Constituição para proteger seus direitos. E ai haverá uma figura de grande valor jurídico chamado jurisprudência que vai nortear e guiar todos os juristas e pessoas provando por A + B se esse parágrafo único é ou não inconstitucional. Renato Franca, OAB/AM, n. 3208

Psicomotricidade - Despedida

Como vamos nos mudar para o Paraná, esta semana foi a última sessão do Lucas com a Márcia Valéria. É uma despedida a qual sinto muito pelo bom trabalho que ela sempre desenvolveu com ele. A Márcia é uma excelente profissional e o Lucas adoooora as sessões. Fizemos uma baguncinha muito legal e com aperto no corações dizemos "Até um dia quem sabe"... Nunca esquecerei as palavras e os ensinamentos de Márcia, onde sempre com muita sensibilidade me ensinava a ver e respeitar o Lucas como criança, ser humano e não como "autista"... Quando entendi o espírito da coisa, percebi a mudança que tivemos e consequentemente a mudança que vimos no Lucas. Obrigada Márcia por tudo e que Deus te abençoe neste caminho de trabalho e luta para o desenvolvimento dos nossos pequenos.

10 de dezembro de 2012

Dia de sol - Praia Vermelha

Lucas e eu fomos para a praia no sábado e curtimos muito. É incrível ver como o meu pequeno está crescendo. Brincou bonitinho, respeitando os limites da água e de onde estávamos. Normalmente ele chorava muito na hora de ir embora, mas desta vez eu expliquei que estava na hora, acho que pelo cansaço, me abraçou e fomos para a casa na maior tranquilidade. É a criança mais maravilhosa do mundoooooo!!! Vejam as nossas fotos.

6 de dezembro de 2012

A importância da inclusão escolar

Segue abaixo uma experiência de inclusão escolar muito motivadora... Ontem, o professor estagiário de Português do Colégio Serravalle deu uma prova em dupla - e colocou o colega Edelvan para trabalhar com Gabriel. A principal questão era de ortografia, em que Gabriel é fera. Orientei Edelvan , a pedir a Gabriel que soletrasse cada palavra e a não permitir que Gabriel as visse, pois a questão pedia para escolher as que foram escritas erradamente. Se ele as visse, ia se confundir e soletrar do jeito que estava lendo. Uma a uma, Gabriel soletrou, e Edelvan comparou com o que estava escrito, marcando a que não condizia com o que Gabriel soletrava. Gabriel errou, apenas, a palavra "muxoxo", que ele não conhece. Deixei que eles errassem, afinal, a prova era deles. Engraçado é que Gabriel soletrava alto e Mailza e Gerlânia "colaram" as respostas do Gabriel. O professor corrigiu na hora e, quando marcou o erro de Gabriel na prova das meninas, Maílza reclamou: -"Ah, mas eu fiz do jeito que Gabriel disse!" A segunda questão era mais complicada, pois pedia para escolher entre mau com "U" e mal com "L" - o que depende do contexto da frase. Ainda que Gabriel entenda o significado do que lê, ele não conseguiu discernir qual palavra seria a correta nesse caso. Vejam na foto. Edelvan usava o livro de História para encobrir a prova. Reparem, também, que Gabriel ficou com suas bolinhas na mão, para suas estereotipias. Nós não as inibimos. Hoje, ele consegue largar os objetos que usa para fazê-las, quando precisa usar as mãos para comer, desenhar, escalar a corda indiana ou subir no trapéio do Circo, por exemplo. O mais importante é que Gabriel, mesmo irritado, mesmo querendo sair da sala, entendeu que a "regra" era ficar ali durante o teste, com o colega. Como Mariene e eu dizemos, "socialização" é masi do que fazer amigos no clube. É aprender regras, aprender a assumir responsabilidades, a compartilahr experiências, a ser solidário, trabalhar em grupo... Coisas que não se aprendem simplesmente brincando no clube, praça ou playground, e que vão muito além de aprender o "conteúdo" - coisa que, hoje em dia, se consegue na internet. Por isso insistimos que é tão importante a frequência na escola regular. Essas coisas dificilmente se aprenderão na escola "especial". -- Geólogo Argemiro Garcia Salvador - Bahia Secretário da AFAGA Associação de Familiares e Amigos da Gente Autista Secretário da ABRAÇA Associação BRasileira para AÇão por direitos das pessoas com Autismo
 
Desenvolvido por MeteoraDesign.Blogspot.com | Contato